Cáries

Definição

A cárie pode ser definida como uma doença infecto-contagiosa multifatorial, que determina, inicialmente, uma dissolução localizada dos componentes inorgânicos dos dentes, devido aos ácidos provenientes do metabolismo bacteriano dos carboidratos fermentáveis da dieta.

LOESHE, 1993

“`Para que um método de diagnóstico tenha valor ele deve influenciar em determinada decisão e o valor de informação, superar qualquer risco associado ao seu uso, sendo capaz de identificar as lesões incipientes que ainda não desenvolveram cavidade, possibilitar melhor reprodutibilidade, evitar grande variação individual, agilizar o treinamento e facilitação dos examinadores.”

ROMANO, A.R. São Paulo, 1995. 132p. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Odontologia da USP

Razões para o Emprego das Radiografias Intrabucais

Alguns estudos demonstram que aproximadamente metade das lesões interproximais não são visíveis clinicamente (se não houver separação interdentária) e podem ser detectadas mediante radiografias, principalmente em indivíduos maiores de 12 anos.

DE VRIES, H.; RUIKEN, H.; KONIG, G. Radiographic versus clinical diagnosis of proximal carious lesions. Caries Res 24: 364-370, 1990.

“ As radiografias interproximais são as projeções de maior utilidade para detecção de cáries no terço distal de caninos e nas superfícies proximais e oclusais de pré-molares e molares”

“ As radiografias periapicais permitem detectar fundamentalmente as alterações no osso periapical e interradicular”

GOAZ, 1995

Superfície oclusal

“ A morfologia da superfície oclusal, com a presença de fossas e fissuras, favorece a retenção de placa e o desenvolvimento da doença cárie, especialmente na fase de erupção do dente.”

CARVALHO, J.C.; EKSTRAND, K.R.; THYLSTRUP, A. Dental plaque and caries on occlusal surfaces of first permanent molars in relation to stage of eruption. J Dent Res, v.68, 5, 773-779, maio 1989.

“ A progressão da lesão oclusal é um processo linear contínuo de destruição, quando medidas não forem tomadas para interferir no processo, o que justifica a busca da detecção de estágios iniciais e o tratamento não invasivo destas lesões”

THYLSTRUP, 1995

“ Para superfície oclusal o exame radiográfico que era considerado de valor limitado, teve seu valor reavaliado pela necessidade de detecção de lesões ocultas em dentina e, evitar o comprometimento pulpar”.

ROMANO, A.R. São Paulo, 1995. 132p. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Odontologia da USP